Desenhar é o bicho:

Desenhar é o bicho:

0 6038

Por Vanessa Valentini

Ilustração: Vanessa Valentini (Bióloga e ilustradora)

“A pequena coruja voou durante a noite,

Como se as pessoas estivessem  no ar

Estavam assustados e ela assustou-os,

Por estar lá ….” (Wallace Stevens)

As palavras de Wallace Stevens, poeta modernista norte americano, ilustram perfeitamente o receio que algumas pessoas têm em relação às corujas, principalmente, em relação à Coruja-das-Torres. Esta era considerada um animal agourento, talvez pelos seus cantos e pios que a deixavam com má fama em muitas regiões, já que estes sons emitidos pelas corujas em nada lembram as melodias dos passarinhos, tão apreciadas pelos humanos. A Coruja-das-Torres é também conhecida como “rasga-mortalha” (lençol que envolve os mortos) por emitir um forte grito, eventualmente, durante o voo que lembra o som de um pano sendo rasgado.

Na verdade, os sons produzidos pela Coruja-das-Torres não têm nada que ver com premonições, são apenas crendices e lendas populares acerca da forma natural de comunicação desta ave. Assim, não podemos deixar nossa falta de conhecimento sobre um determinado animal transformar-se em intolerância e repúdio.

Esta bela coruja de, em média, 36 cm de comprimento e 75-110 cm de envergadura, possui a cabeça grande e arredondada em formato de coração, sem tufos de penas nas orelhas. Tem as asas arredondadas e uma cauda curta, que é coberta com uma penugem marrom clara ou branca. As costas e cabeça da ave são de um tom de castanho claro com ​​manchas pretas e brancas variáveis. A parte inferior é branca acinzentada com pequenas manchas marrons.

As fêmeas tendem a ser maiores, pesando cerca de 570 gramas, enquanto os machos pesam cerca de 470 gramas. As fêmeas também têm um comprimento do corpo ligeiramente maior (34 a 40 cm para o feminino, 32 a 38 cm para os machos).

É a coruja mais comum entre todas as espécies, sendo encontrada em todos os continentes, exceto na Antártida. Nas Américas, ocorre em toda a América do Sul, Central e na América do Norte. Na Europa, sua distribuição vai desde o sul da Espanha, passa pelo sul da Suécia e chega até o leste da Rússia. Habita também toda a África, a Ásia central e do sul, e toda a Austrália.

“Reação da Coruja-das-Torres ao saber que era considerada um mau agouro”   

(Fonte: http://www.walpapershddownload.com)1

A Corujas-das-Torres, Tyto alba, ocupa uma vasta gama de hábitats, desde as zonas rurais até as urbanas. Ela é, geralmente, vista em baixas altitudes em ambientes abertos, como por exemplo, em pastagens, savanas, pântanos e campos agrícolas. Exige cavidades para nidificação, como troncos ocos de árvores, buracos em falésias, cavernas, caixas, torres de igrejas (daí seu nome popular), celeiros e pilhas de feno.

Esta espécie é ativa no crepúsculo e a noite, escondendo-se durante o dia.Quando se assusta durante o dia ou quando quer amedrontar, bufa fortemente podendo estalar com o bico.

 “Um ninho de Coruja-das-Torres ”   

(Fonte: http://www.nickwilliams.eu)2

A Coruja-das-Torres é uma caçadora muito eficiente! Suspeita-se que ela gaste muito do seu tempo empoleirada em um galho de árvore quase imóvel. Entretanto, ao cair da noite, sai para caçar. Tem uma capacidade incrível  de localizar a presa pelo som, permitindo capturá-las escondidas entre a vegetação ou neve. Esta habilidade é auxiliada pelo fato de seus ouvidos serem assimétricos epelas penas de sua face em forma de coração que canalizam o som, assim, capta melhor a direção dos ruídos.

Ela tem uma excelente visão na penumbra, conseguindo ter uma imagem mais brilhante e enxergando os detalhes dentro das sombras, portanto, qualquer coisa pequena que se mova é imediatamente percebida. Outra característica que contribui para o seu sucesso é a sua  penugem, sendo que esta ajuda a abafar o som do seu movimento. Uma Coruja-das-Torres pode se aproximar de suas presas praticamente despercebida. Obtém suas presas em voos baixos (1,5 m-4,5 metros acima do solo) agarrando-as com as patas de garras afiadas.

Alimentam-se de pequenos mamíferos, como ratos, ratazanas, ratos, musaranhos, ratos almiscarados, lebres, coelhos e também pequenas aves.

“Coruja-das-Torres caçando”   

(Fonte:http://www.warrenphotographic.co.uk)3 

São animais solitários, chegando a viver em pares que são definidos na época da reprodução, pois, quando as Corujas-das-Torres acasalam, tornam-se, na maioria das vezes, parceiros para a vida toda.

Reproduzem-se pelo menos uma vez ao ano em qualquer época, determinada apenas pela quantidade de comida disponível em seu território. O macho inicia o comportamento de corte à fêmea, fazendo um voo de exibição, incluindo fortes batidas de asas e perseguição à fêmea. A fêmea põe os ovos em uma cavidade escura e incuba-os, geralmente, em um ninho que foi usado pelo casal anteriormente ao invés de construir um novo.

São postos de 4 a 7 ovos com 2 ou 3 dias de diferença para que choquem em tempos diferentes. Os pais estão sempre caçando em turnos, evitando deixar a prole sozinha, pois, aumentam as chances de ataques por corvos e outros predadores na ausência dos pais. Os filhotes deixam o ninho em seu primeiro voo  após 50 a 70 dias depois da eclosão, e tornam-se independentes dos pais 3 a 5 semanas depois de começar a voar.

“Filhotes de Coruja-das-Torres”    

(Fonte:http://www.ebaumsworld.com)4

O estado de conservação da Coruja-das-Torres não é preocupante. Seus predadores naturais são doninhas e serpentes que caçam filhotes. Alguns adultos pequenos são predados por águias douradas, urubus, falcões peregrinos entre outros.

Sua população sofre grandes baixas devido a mudanças climáticas, pesticidas e técnicas agrícolas. Ao contrário de outras aves, as corujas não armazenam gordura extra em seus corpos, como uma reserva para o inverno rigoroso. Como resultado, muitas corujas morrem durante o congelamento desta época ou ficam fracas para se reproduzirem na primavera seguinte. Pesticidas também contribuem para a diminuição desta espécie. Por razões desconhecidas, as Corujas-das-Torres sofrem efeitos mais graves pelo consumo de pesticidas do que outras espécies de corujas. Estes pesticidas são muitas vezes responsáveis ​​por deixar a casca do ovo mais fina e frágil.

Agora que você já é quase um “expert” em Coruja-das-Torres, que tal aprender a desenhá-la?

Assim, você pode mostrar para seus amigos e família como são bonitos esses animais, além de arrasar nas aulas de arte e com sua turma… Lembrem-se…Nada de livros para colorir!!! XP

Vamos lá então!!

Primeiro desenhe duas formas ovaladas empilhadas, uma na horizontal e a outra na vertical.

Depois faça o contorno do corpo, da face e das asas.

Agora faça os olhos e o bico.

Para Finalizar, desenhe as penas e as patas… Depois é só colorir!!!

E….. voilá!!! Uma bela Coruja-das-Torres, meu caro artista!!!

E como o ilustre Jim Sturgess diria:

“Majestosa!! Um olhar profundo igual ao do meu amigo Soren!!!”

(Fonte: http://movieuppic.blogspot.com.br)5

Informações adicionais:

 Disponível em: < http://animaldiversity.ummz.umich.edu/accounts/Tyto_alba/ >

 Disponível em: < http://www.museudezoologia.ufv.br/bichodavez/edicao14.htm >

 Disponível em: < http://papjerimum.blogspot.com.br/2012/08/lendas-e-mitos-do-folclore-nordestino.html >

 Disponível em: < http://www.avesderapinabrasil.com/tyto_alba.htm >

1-Disponível em: < http://www.walpapershddownload.com/barn-owl-wallpapers/ >

2- Disponível em: < http://www.nickwilliams.eu/category/photography/ >

3- Disponível em:< http://www.warrenphotographic.co.uk/04275-barn-owl-hunting-sequence>

4-Disponível em:< http://www.ebaumsworld.com/pictures/view/83687112/>

5-Disponível em <http://movieuppic.blogspot.com.br/2012/05/legend-of-guardians-owls-of-gahoole.html >

NENHUM COMENTÁRIO

Deixar uma resposta