Erupções vulcânicas e suas consequências

Erupções vulcânicas e suas consequências

3 5071

Carla Matos Viegas

Nos últimos dois anos notícias sobre erupções vulcânicas tomaram conta das manchetes de jornais internacionais. Isso porque as cinzas expelidas pelos vulcões causaram problemas em diversos países, especialmente no que diz respeito aos vôos.

Em 2010 duas crateras do monte Eyjafjallajokull (que no idioma local seria algo, em tradução livre, como “Geleira das Montanhas das Ilhas”), na Islândia, causaram um verdadeiro caos na Europa. Após quase 200 anos sem erupções (a última havia ocorrido entre os anos de 1821 e 1823), a montanha “explodiu” em 20 de Março, lançando lava e muitas cinzas vulcânicas. E foram essas cinzas que causaram os maiores problemas.

(Imagem 1 – erupção do Eyjafjallajokull)

Após um mês em atividade, uma segunda erupção lançou cinzas a cerca de 7 mil metros de altitude. As correntes de vento carregaram as cinzas pelo céu da Europa, causando a interrupção do tráfego aéreo em diversas cidades da Europa, como Londres (Inglaterra), Dublin (Irlanda) e Reykjavik (Islândia), o que afetou cerca de 100 mil vôos à época (segundo o portal “r7.com”), causando muitos transtornos. Essa interrupção foi devida ao fato de que as cinzas vulcânicas, ao entrarem nas turbinas das aeronaves, podem levar à uma pane, fazendo com que as turbinas parem de funcionar, podendo causar a queda da aeronave.

No mês de Novembro os geólogos ainda registravam alguma atividade, mas a expulsão de lava e cinzas durou cerca de 2 meses.

Esse ano o problema está um pouco mais próximo de nós. O monte Puyehue, no Chile, entrou em erupção no dia 4 de Junho (a última havia ocorrido em 1960). As cinzas já atingiram cidades da Argentina e do Brasil, levando ao fechamento do aeroporto Salgado Filho, na cidade de Porto Alegre (Rio Grande do Sul).

(Imagem 2 – Cinzas do vulcão Puyehue)

Os vulcões são estruturas ou aberturas em uma montanha, através da qual podem ser liberados gases, lava (que é o nome que o Magma – camada de metal líquido existente no centro e em bolsões na crosta terrestre – recebe ao ser expelido) e cinzas.

O aumento nas atividades sísmicas (ou seja, o movimento das placas tectônicas que formam a crosta terrestre), o acúmulo de lava entre outros fatores podem desencadear uma erupção vulcânica. Uma comparação comumente feita é com uma garrafa de refrigerante. Quando você agita a garrafa, e depois abre, o líquido é lançado para fora com força. Nos vulcões ocorre o mesmo. A pressão da matéria dentro do vulcão – gases ou lava (o refrigerante) aumenta, rompendo a crosta interna da cratera (a tampa da garrafa), e o material é expelido.  Uma erupção vulcânica não necessariamente será explosiva, com a liberação intensa de lava. Em muitos casos o vulcão libera vapor e gases, mas não lava, ou libera a lava de forma lenta, sem grandes explosões.

Os cientistas ainda não são capazes de prever com precisão quando um vulcão entrará em erupção. No entanto medições constantes das atividades sísmicas podem apontar alterações na intensidade dessas atividades, que podem ser um indicativo de que uma erupção está prestes a ocorrer. Outro sinal que pode ser considerado um alerta de erupção é a presença de Enxofre na água ou na atmosfera (sendo percebida pelo olfato), já que antes de uma erupção os vulcões normalmente expelem gás de Enxofre.

Há algumas divergências sobre a classificação de atividade de um vulcão mas, de forma geral, um vulcão é considerado ativo quando está em erupção, ou em grande instabilidade. Ele também pode ser dito “adormecido” quando não está instável, mas tem chances de entrar em erupção, ou Extinto, que é o vulcão considerado com chances remotas de erupção.

Existem cerca de 1300 vulcões considerados ativos ou  adormecidos em todo o mundo. A maioria deles se concentra na região denominada de “círculo de Fogo”, no oceano Pacífico, que recebe esse nome justamente pela intensa atividade vulcânica.Todos os vulcões existentes no Brasil são considerados extintos, sem possibilidade de erupção.

Mas nem tudo é negativo quando se trata de vulcões e erupções. O material expelido dessas montanhas é extremamente rico em matéria orgânica e ferro, sendo um tipo de solo muito bom para agricultura. Assim, apesar de destruída por uma erupção, a vegetação em torno de um vulcão cresce mais forte após sua recuperação. Isso leva muitas pessoas a viver nas regiões próximas a vulcões de baixa atividade, mesmo sabendo que terão que se deslocar caso haja uma erupção.

 

3 COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta