Diário de Classe: A (Dês)Valorização da Escola

Diário de Classe: A (Dês)Valorização da Escola

1 983

Por Claudia Zamuner

Disponível em http://alfredoperi.blogspot.com.br/2014/07/jovens-armados.html em 08/12/2016

Olá Pessoal, tudo bem com vocês??

No artigo da semana passada relatei que recebi um convite, e aceitei com um enorme prazer, para apresentar uma palestra sobre a profissão do biólogo. Nunca vi uma turma tão empenhada em querer fazer um trabalho diferente e também uma professora querendo fazer a diferença; pena que os alunos já não querem mais fazer a diferença.

A ideia era que cada grupo escolhessem e apresentassem uma profissão para todos os alunos das turmas do 9º ano. Super legal!! Vale descrever que as escolas municipais da cidade onde moro tem as salas de aula equipadas com telão e datashow (onde encontramos isso numa escola pública?).

Relatando assim parece que vai ser um artigo legal sobre o professor que quer fazer a diferença. Uma pena galera, mas essa vontade de fazer a diferença da coitada da professora foi por água a baixo quando dois alunos começaram a se atracar no meio da palestra, depois quando outro aluno se recusou a entrar na sala pois, segundo ele, não era obrigado a assistir aula pois se formaria de qualquer jeito.

A aprovação automática, proposta a alguns anos, ajudou em alguns aspectos mas para o lado do professor dificultou em outros.

Sou de um tempo que a professora era autoridade na sala de aula. Concordo que não somos o detentores de todo o conhecimento e que deve sim existir uma troca entre as partes mas a falta de respeito por parte dos alunos me faz repensar alguns dias na semana se não valeria a pena jogar tudo para o alto e “curtir a vida”.

Não recupera da luta de MMA dentro da sala de aula, ainda ouvi alunos alegando que o cursinho onde trabalho “não presta” e que todos os professores são “uma droga”. E foi uma droga de aula que dei, um foi um péssimo dia de trabalho.

Acho que já acabou? Nãããão. O pior estava por vir, mas não vale a pena entrar em detalhes.

Meu objetivo neste artigo é descrever o quanto a escola está desvalorizada. Alunos entram desinteressados, os pais atribuem à escola a culpa por toda a nota baixa que o filho tira, o governo não faz nada para mudar o cenário, o salário é melhor nem mencionar e as piadas são constantes nas redes sociais quando a profissão envolvida é a docência.

Disponível em http://educacaoemlutamg.blogspot.com.br/2011/10/violencia-contra-o-professor.html em 08/12/2016

Não quero desmotivar ninguém de seguir a docência, mas este final de ano foi e está sendo bem tenso. E a cada dia a situação parece piorar. até quando vamos aceitar que um aluno empurre uma professora na escada da escola e poste isso como um troféu nas redes sociais? Vamos aceitar calados?

Bem, este é meu último artigo em 2016 e o que posso desejar, além de boas festas, é claro, é que a situação melhore em 2017.

Abraços, CZ

Boas festas!!!”

1 COMENTÁRIO

  1. Profa. Claudia,
    É lamentável esta situação que a colega passou!
    Tudo indica, cada vez mais, que o aluno não gosta deste tipo de Escola, e tem nublado qual será seu futuro.
    Penso que se grande maioria ( não sei quantos, de fato) tem acesso a tecnologia, ainda com prejuízo pela falta de contato humano, não deveríamos propor boa parte do currículo por EAD? Mas. ai os profs. ficariam sem emprego?. Temos que preservar a vida! Dilema a ser resolvido!

Deixar uma resposta