Diário de Classe: A Formação do Professor

Diário de Classe: A Formação do Professor

0 336

Por Claudia Zamuner

Disponível em http://anascatena.blogspot.com.br/2010/05/para-professores-cansados.html em 08/12/2016

Olá Pessoal, tudo bem com vocês??

Sabemos que a vida do docente não é um mar de rosas, quem dera fosse! Como escrevi no meu primeiro artigo, nosso trabalho (sim! Nós trabalhamos e não somente damos aula) não se resume somente ao que apresentamos em sala de aula. Precisamos estudar, preparar aula, planejar o ano escolar, nos reciclar e, mesmo assim, volta e meia nos deparamos com novos desafios. E o desafio desta vez foi justamente em apresentar uma palestra sobre a profissão do biólogo.

Certo dia recebi uma ligação de uma aluna sobre a disponibilidade e o interesse em apresentar uma palestra em sua escola sobre nossa profissão. Óbvio que aceitei, tenho muito orgulho da minha profissão e foi aí que começou a aventura.

Claro que tenho noção de como é ser uma bióloga mas não custava nada pesquisar nos sites dos conselho federal e regional de biologia e muito menos o que o Ministério da Educação estipula como grade curricular obrigatória para o curso de Ciências Biológicas. Para minha surpresa, depois de quase 10 anos de formada, entendi o motivo de estudar tantas disciplinas que não fazia sentido algum no primeiro ano de graduação: física, matemática, química, história da ciência, etc.

Me lembro que o professor que lecionava física, dizia que tínhamos que obter os conhecimentos físicos necessários para estudar biofísica. Durante toda a graduação aprendemos que biologia significa estudo da vida e ao optarmos por licenciatura tínhamos no currículo disciplinas como didática, práticas de ensino, psicologia da educação e em bacharel disciplinas como biotecnologia, biogeografia, etc. Mas o que nunca nos disseram é que o licenciado em Ciências Biológicas tem habilidade para ensinar química e física. Agora faz todo o sentido do mundo aprender bomba de sódio e potássio.

Sempre me perguntei por que era possível darmos aulas de ciências para o ensino fundamental I mas nunca um licenciado em química ou física. Foi aí que tive a ideia de perguntar aos meus colegas licenciados em biologia, química e física se eram ou não habilitados para lecionar e quais disciplinas.

Engraçado é que nós, biólogos,  ou pelo menos eu, nos sentimos pouco a vontade para lecionar química e física, e nossa formação diz que somos capazes, habilitados para tal. E meu colega, licenciado em química e física, apesar de ter tido pouco conteúdo biológico, não é habilitado para lecionar biologia. Não é incrível??

Como uma informação dessa é passa de maneira tão superficial para nós, futuros professores?

Sim, eu lembro o que aprendi nas aulas de química, física e matemática; sim, me lembro que os conteúdos eram voltados para disciplinas posteriores (biofísica, bioquímica, bioestatística).

Minha indignação é que se não tivermos a capacidade de darmos uma aula decente podemos influenciar negativamente os alunos e a sua formação. E por falar em formação, ao estarmos na cadeira de estudante, como graduandos em ciências biológicas, podemos ser influenciados negativamente para ensinar química e física pois não temos isso como objetivo. Ao nos formarmos seremos professores de biologia e não de ciências.

Só tenho a agradecer o convite que a aluna me fez, graças a ele aprendi que se eu me esforçar, posso ensinar os estados físicos da material, óptica geométrica, magnetismo, ligação química. É só preparar aula, planejar o ano letivo, bolar novas ideias e buuumm uma aula legal de ciências a caminho.

Se a profissão do docente é responsável pela formação de todas as outras, ensinar química e física não deve ser nada.

Abraços, CZ

Me movo como educador, porque, primeiro, me movo como gente”.(Paulo Freire)

NENHUM COMENTÁRIO

Deixar uma resposta